14 de nov de 2010

Gatos Encantados – Dança, na corda bamba...

Hoje, 14/11, fomos ao Parque.

Eu, Sônia, Helena e minha mãe! Tive que levá-la porque ela não está bem de saúde e não quis ficar sozinha em casa... rs

Fomos primeiro para a Cidade Fantasma. Como sempre, com a esperança de testemunhar a volta dos Mosqueteiros.

Mas vimos apenas a Mãezinha. A impressão que tivemos dela hoje não foi das melhores. Ela não se aproximou muito e não comeu o Whiskas Sachê que demos.

Achamos que o movimento, maior que o normal (4 pessoas), pode tê-la assustado.

Porém, poder ter sido uma disputa por território. Pois a Cor de Rosa apareceu por lá também.

Tigrada Cor-de Rosa
Resolvemos, então, colocar uma caminha e um comedouro pra ela no lugar onde ela entrou para se esconder de nós.

O consumo de ração no Cafofo foi grande. A quantidade de gatos que se alimentam lá continua a mesma. Isso sempre é uma boa notícia.

É, realmente, uma “corda bamba” de emoções. Ver Mãezinha tão fragilizada nos deixa muito aflitas. Mas vê-la, saber que ela ainda está lá, é uma alegria.
Saber que o consumo de ração continua normal também nos traz algum alento. Mas saber que isso pode trazer chateação para a Mãezinha, nos deixa tristes.

Mãezinha - se ela fica triste, nós também ficamos... minha linda, queremos vê-la bem na próxima semana!!!

Bem... Cafofo limpo (obrigada, Helena – Essa menina não se cansa!) e reabastecido e um novo cafofo instalado, resolvemos partir para o Parque.

Fomos direto para o Reduto!

É a coisa mais emocionante do mundo! Todos os gatos vindo ao encontro do carro... Nessa hora, nossos corações ficam em festa!

Estavam todos lá. Claro que a Sialatinha e a Linda Irmã fugiram assim que chegamos. Mas a gente já se acostumou com isso!

Logo chamamos o Bebê, que veio todo faceiro... miando para anunciar sua chegada.

Eles estavam com fome. A ração tinha acabado e coremos para encher os comedouros. Esses feriados estão nos dando um pouco mais de preocupação e trabalho. Ainda bem que acabaram os feriados do ano, né?

Eles correram para os comedouros e se fartaram!

Bebê (a gente não resite: tem que colocar muuuita foto dele!!!)

Sophie, a absoluta!

A Irmã da Sialata (já não fica tããão apavorada)


Fui, então, preparar o Banquete. E aí, foi o momento de ataque da Filhota e do Bebê (que ganhou uma ajudinha da minha mãe pra subir no carrinho...).

Dona Jamilli (mammys da Angela ) e Bebê - para quem não sabe, Dona Jamilli foi nossa primeira colaboradora, pois foi ela quem pintou e nos doou um quadro. Com a verba, foi dado o pontapé inicial do Projeto Gatos Encantados.


Os Gatunos!!!

Os outros gatos, mais “educados” ficam só em volta de mim! rsrsrs

Banquete servido, fomos levar o Banquete dos gatos da Colônia Transferida.

Mais uma banquetão

Bebê nos acompanhou hoje. No início, no colo da minha mãe e depois correndo e andando com a gente. Um companheiro e tanto!

A Gatinha do Quiosque veio ao nosso encontro. Correndo! Uma cena muito lindinha! (eu achei que estava filmando essa cena, mas a minha câmera simplesmente não filmou! Semana que vem, se ela vier correndo, vou estar mais preparada!) E foi me cercando e se enroscando nas minhas pernas até o Ponto de Alimentação.

Os gatos dessa Colônia já estão mal acostumados também. Já sabem que ganham um petisco especial todas as vezes que aparecemos.
Eles adoram o Banquete!
E o Bebê não se faz de rogado. Come no Reduto e belisca o Banquete da outra Colônia.

Estava ventando, começando a chuviscar e meio frio. Nem todos os gatos apareceram. Mas deixamos bastante Banquete para os outros!

Ficamos um pouquinho por ali e voltamos para o Reduto.

Depois do banquete, um pouquinho de sol cai bem (se bem que quase não tinha sol)


Fizemos carinhos nos gatos que gostam de carinhos. A Absoluta Sophie, o Goooordo, a Filhota e o Bebê.

Os outros ficam de longe, avaliando se devem permitir que façamos algum carinho neles... Patynho, Pança, Mamãe, o Pretinho que só gosta de ração seca... E até a Linda Irmã já não foge tanto da gente.
A Sialatinha só fica de longe. Não tem jeito!

A Sialatona aceita carinhos da Sônia. De mais ninguém! Vez ou outra, ela se deixa acariciar por mim. Mas acho que é só pra eu não me sentir rejeitada. Ela gosta da Sônia e ponto!

Sialatona (um segredo: ela não gosta de mim, não! Ela gosta é da comidinha que eu levo!!!! Acho que Angela está carente hehehe - by Sônia)

E chegou a hora de nos despedirmos dos gatos do Reduto. Essa é a hora triste.
Enquanto o carro está indo embora, a gente olha pra trás e vê aquele monte de olhinhos e cabecinhas virando na direção do carro.
Dá uma vontade imensa de ficar mais um pouquinho... mas já começava a chover um pouco mais forte e ainda tínhamos que ir ver os gatos da frente do Parque.

Na frente do Parque, vimos Melancia, a Gatinha da Piometra e a Tigradinha Gorda, no Clube da Luluzinha. A gente nunca vê a Sandy! Temos que ir lá em um dia que o Anjo da Guarda dos gatos esteja lá. E só terei férias no final do ano (droga!).



Do outro lado, no Clube do Bolinha, estava o Cabeção (Tigrão) e o Júnior. O Branquinho devia estar dentro da sala da Administração. E, como ele é surdo, não temos como chamá-lo...

Cabeção
Júnior e Cabeção

Servimos o Banquete para os dois “clubes”.

No Clube do Bolinha, só o Cabeção se animou. comeu bastante e depois foi fazer gracinhas para a Helena. Esses dois... humpf!

Cabeção só faz gracinha para a Helena (humpf!!!!)

Júnior não deu muita bola para o petisco. Devia estar com a barriguinha cheia.

No Clube da Luluzinha, também não houve a euforia de sempre. Mas quando a gente se afastou, elas foram se fartar com o Banquete.

Voltamos para o Clube do Bolinha, para a Helena chamegar mais um pouco o Cabeção e, quando estávamos indo embora, vimos o Gatão que não é castrado ainda.
O Gatão estava acabando de se fartar com o Banquete.
Ele só aparece de vez em quando e desaparece quando a gente menos espera.

Gatão bolotudo (esperamos que por pouco tempo)

Mas hoje nós vimos onde ele fica. Nós o seguimos!

Semana que vem, tentaremos capturá-lo no seu esconderijo. Por favor, torçam por nós e por ele!

Já chovia bem forte e decidimos ir embora.

É curioso dizer que vamos embora de um lugar onde fica o nosso coração, né?

Nós temos uma semana inteira de trabalho, ocupações, preocupações, vida familiar, amigos, problemas para resolver, vida social...

Mas o coração continua lá no Parque.

Só o temos de volta quando estamos chegando de volta ao Parque. É quando o sentimos doer a cada curva do caminho, por não saber o que nos espera. É quando o sentimos apertar, quando vemos, como hoje, uma gatinha tão assustada como a Mãezinha. É quando o sentimos bater feliz, quando ouvimos o miado do bebê, ou quando vemos todos os gatos vindo em nossa direção.

Dançamos, literalmente, numa corda bamba, como uma equilibrista... sem a sombrinha... Totalmente soltas, com as emoções brincando de montanha-russa... E isso nos faz ter mais vontade de continuar... sempre!


Helena, um recadinho pra você:

Acho que você está contaminada.
Pelo seu jeito de lidar com tudo isso, você foi fisgada...
Acho que você não vai mais poder viver sem os Gatos Encantados!

4 comentários:

Ana Paula disse...

Parabéns pela iniciativa de vcs. Seria tão bom se mundo existissem mais pessoas com o bom como o de vcs.
Sou tb amante de gatos, não só de gato, mas dos animais em geral.
Que Deus a abençoe sempre.
Ana Paula
apsalomedealmeida@gmail.com

DANIELA BORALI ॐ disse...

É sempre muito emocionante acompanhar o lindo trabalho de vocês MENINAS ENCANTADAS!!! Que não desistem nunca!!!!!
Estou torcendo pelo Gatão bolotudo muito, muito!!!!
Muita Luz para Mãezinha e para todos estes peludos amados... Que São Francisco olhe por eles e os proteja sempre!!!!!
Que a força cósmica das estrelas do infinito esteja sempre assim iluminando o caminho de vocês e de todos os gatos encantados do parque e do mundo inteiro!!!
Beijos mil...
Sou muito fã de vocês!!!!!
Parabéns mesmo!!!!!
Dani e Companhia.

Angela Belluomini disse...

Oi, Ana Paula.

Muito obrigada pela "visita"!
Nossa intenção com o Blog é justamente essa!
Incentivar pessoas comuns (como nós) a fazer alguma coisa pelos animais.
Não é tão difícil, né?
Somos só eu e Sônia (agora estamos contando com a ajuda da Helena) e conseguimos dar conta de tudo!
Temos que concordar que cansa um pouco... Mas é tão grande o prazer que sentimos em saber que estamos interrompendo esse ciclo de procriação de gatos abandonados no Parque, que faz vale a pena!
Bjs e obrigada!

Angela Belluomini disse...

Oi, Daniela.
Hoje, mais tarde, postaremos o relato da nossa ida ao Parque!
Não vou contar aqui, né? rs
Mas acho que você vai gostar...
Muito obrigada pela torcida e pelo carinho.
Bjs