31 de mar de 2008

Prestação de contas - março/2008

Este mês foi difícil; o parque estava interditado e os funcionários não conseguiram nos ajudar na captura e no pós-operatório dos gatinhos.
Capturamos e castramos uma gatinha, somente e resgatamos os bebês. Como voltamos muuuito tarde e ainda tivemos que procurar leitinho para os filhotes, nem nos lembramos de pegar o recibo da castração. O recibo das coisinhas para os bebês não puderam ser dados, também, porque a petshop já estava fechada. Como a pet era em uma clínica, a recepcionista nos vendeu o leite, mas não pode emitir o recibo.
Então, não lançamos estes valores na prestação de contas pois nós arcamos com estas despesas integralmente.

28 de mar de 2008

Novidade maravilhosa!!!

Uma pessoa muito especial conheceu nosso projeto e resolveu dar uma ajuda gigantesca!!!!
Mandou, de outro estado, muuuuuita ração. Mas muita mesmo! 500 quilos!!!!!!

Sim, vocês leram isto mesmo! QUINHENTOS QUILOS!!!!!!!!!!!!

Somente tivemos a despesa com o frete (depois eu coloco a foto da nota e dos sacos de ração, porque hoje estou exausta).

Como não temos muito caixa e 500 quilos é muita ração, resolvemos dividir um pouco (a ração e o frete, proporcionalmente) com duas pessoas que também precisam muito. Então, repassamos 200 quilos de ração e ficamos com 300 quilos, o que será suficiente para, aproximadamente, SEIS MESES de alimentação dos nossos gatitos.

Esta ajuda veio em hora bastante apropriada, pois já estávamos ficando preocupadas em como faríamos para pagar ração e as castrações. Agora, tudo fica mais fácil.

Obrigada, de coração, a esta pessoa (a hora que ela quiser que divulguemos seu nome, será um prazer para nós).

Sabemos que ela contou com a ajuda de várias pessoas para separar, organizar e empacotar os sacões de ração em fardos. Então, agradecemos muito, também, a estas pessoas que, de longe, deram valor ao nosso projeto.

Mais dois gatos capturados!

Hoje, mais uma vez, foi dia de aventura...

Fizemos mais uma tentativa de castração gratuita pela Prefeitura, mas, infelizmente, o pessoal do parque não conseguiu capturar um gatinho sequer ontem. Avisei, imediatamente, ao pessoal da SEPDA, para eles repassarem nossas vagas para outras pessoas.

Então, hoje, partimos para o parque carregando 2 gatoeiras e cinco caixinhas de transporte. Quem sabe a sorte não estaria do nosso lado?

Chegamos no parque e fomos direto para a área da cozinha, que é o local em que mais implicam com os gatos. Ficamos algumas horas por lá e nada de conseguirmos capturá-los... eles olhavam, olhavam e, por mais que estivessem com fome, não deram a mínima bola para os petiscos que colocamos como isca.

Resolvemos dar uma rodada pelo parque para localizar outros grupos de animais. Achamos alguns perto dos carrinhos que batem.

Rapidamente, entrou um gato na armadilha e fui buscar malas e bagagens (que estavam lááá longe) para fazermos mais tentativas.

Quando fomos transferi-lo para a caixa de transporte - para usarmos a armadilha de novo - ele nos deu um "baile" e fugiu.

Neste local tinha uma cerca de arame e, do outro lado, mais gatos. Eu já estava do lado em que os gatos também estavam, mas Renata teve que se arrastar por baixo da cerca para mudar de lado.

Arrumamos, novamente, as armadilhas e, depois de uma hora, mais ou menos, um gatinho entrou! Decidimos que não faríamos a transferência para a caixa de transporte para evitar nova fuga. Meia hora depois, outro entrou na outra armadilha e partirmos rumo ao vet.

Ainda nem sei se são machos ou fêmeas (update: hoje, 04 de abril, fomos buscá-los - 2 fêmeas), pois deixamos no vet direto (um dos gatos é beeeem feroz).

Mais dois animais serão castrados. Sabemos que ainda é pouco, mas estamos fazemos o possível...

Gato capturado na gatoeira
O mesmo gato já no vet (tentando escapar).
Outro gato capturado (já no vet).

22 de mar de 2008

Mudanças de planos (temporária)

Quem acompanha o blog sabe que algumas coisas mudaram desde o início do projeto. Vou resumir os fatos:

1 – Os gatos deveriam ser capturados na véspera da data marcada para as castrações gratuitas na Prefeitura (para ficarem em jejum).

2 – O pós operatório seria feito no próprio parque; os gatos seriam acomodados nos gaiolões que mandamos fazer, onde ficariam por uma semana. Um funcionário do parque colocaria comida, água e limparia a caixinha de areia.

Este ERA o projeto. No entanto, desde a interdição do parque, os funcionários não têm dia certo para ir. Então, tanto a captura quanto os cuidados pós-operatórios ficaram comprometidos.

Então, enquanto persistir esta situação, para não interromper a ação, teremos que fazer o seguinte:

1 – Nós mesmas faremos a captura dos gatos. No mesmo dia levaremos ao vet e eles serão castrados no dia seguinte;

2 – O vet faz um preço especial (R$ 50,00 por animal) e fica com ele por 5 dias para fazer o pós-operatório. A alimentação e medicação estão incluídas no preço.

Infelizmente, não temos recursos próprios para fazer frente a esta despesa e, na próxima semana lançaremos uma rifa, cujo objetivo será arrecadar R$ 1.000,00.

Com este valor, garantiremos a castração de 20 animais. Já foram castrados, no total, 12 gatinhos (9 fêmeas e 3 machos, além de 1 macho e duas fêmeas do Condomínio Barra Sul).

Hoje, 22 de março, eu e Angela fomos ao parque levar a gatinha que foi castrada na semana passada. Buscamos em Copacabana e levamos para a Barra da Tijuca.

Aproveitamos e tiramos uma foto mais nítida do buraco onde achamos os babycats... que, por sinal, estão ótimos. Mamam bastante e já fazem suas necessidades sozinhos. Enfim, estão uns fofos, mesmo. Só falta uma casinha para eles morarem.

Gatinha castrada na semana passada.
Buraco onde os babycats foram achados.

15 de mar de 2008

Novidades até que boas!

Ontem, 14 de março, fomos ao parque para levar a ração que arrecadamos (34 kg, pois a Juliana havia deixado os 8 Kg direto lá).

Liguei de manhã e não haviam conseguido capturar gatinhos, já que o parque ainda está interditado e a confusão reina.

Como somos teimosas e insistentes, levamos conosco uma gatoeira (quem sabe não conseguiríamos pegar alguns gatinhos?).

Chegamos por volta de 14:00 e, assim que armamos a gatoeira um gatinho entrou. Nem acreditamos! Aí, resolvemos tentar pegar mais, é claro.

Ficamos horas tentando e até entraram 2, mas estes foram espertíssimos e conseguiram abrir a porta e fugir...
Continuamos insistindo: os gatos se aproximavam, olhavam, comiam a comidinha que espalhamos por perto para atraí-los e nada!

A Renata resolveu dar uma volta para tentar achar mais um ponto onde houvesse mais gatos...
Foi quando ouviu um "miew" fraquinho e foi procurar.
Achou dois filhotinhos dentro de um buraco redondo, semi cerrado por uma tampa de concreto, cheio de lixinho. Imediatamente, retiramos a tampa e pegamos os bebês. Olhamos em volta procurando pela mãe; várias fêmeas até se aproximaram, mas nenhuma tentou pegar os gatinhos.

Pensamos em colocá-los em uma caixinha quentinha para a mamãe gata cuidar; mas e o medo de a mãe não aparecer? Foi quando caiu um temporal daqueles e decidimos levá-los conosco e seja o que Deus quiser.


Saímos do parque perto das 19 h e fomos direto para Copacabana. Deixamos o gatinho capturado no vet para castração e saímos procurando coisinhas para os bebês. Tudo fechado, até que achamos uma pet "mais ou menos" aberta.

Compramos leitinho para filhotes e ganhamos uma seringa até que achássemos uma mamadeirinha (que foi comprada, finalmente, pela manhã, junto com 400 g de ração de bebês).

Cheguei em casa por volta de 22 h, minha irmã (Celina) me ajudou na acomodação dos bebês, já que tenho duas cadelinhas.

Bebês acomodados, alimentados e quentinhos! Finalmente, pude dormir um pouquinho...

Ah! Como os bebês foram achados em um buraco, que achamos parecido com uma caverna, receberam o apelido de Batman e Robin. O banheirinho onde estão acomodados se transformou na Cat Caverna.

Agora, com licença, vou dar leitinho para os babies...
Gatinho capturado com a gatoeira.











Gatinhos no buraco.












Cat Caverna.














Robin e Batman!

5 de mar de 2008

TODOS JUNTOS!!!

Essa semana foi dura, mesmo...

Tanta luta... Tantas esperanças...Ainda bem que temos folego para mais luta e uma imensidão de esperança!!!

Estamos tristes, sim...

Mas a vida é feita de derrotas e vitórias... de encontros e desencontros... de finais e recomeços... de "fluxos e refluxos"...

E, se tem uma coisa que sou, é OTIMISTA!!!

"Desesperar, jamais... aprendemos muito nesses 'meses'"... (pequena licença poética)

Apesar de muitos criticarem "Os Saltimbancos", vou feliz na frase do mestre Chico, em brilhante tradução...

"Todos juntos somos fortes
Somos flecha, somos arco.
Todos nós no mesmo barco,
Não há nada pra temer...
Ao meu lado há um amigo
Que é preciso proteger...
Todos juntos somos fortes,
Não há nada pra temer"

Certo?
Esta é a Maristeli, a grande capturadora de Gatos Encantados!

Doação de Ração

Os Gatos Encantados receberam doação em ração, também:

1 kg da Deize Mara;
3 kg da Gisele;
4 kg da Pet Shop Mundo dos Pets;
2 kg da Valéria.
8 Kg da Juliana.


Os Gatos Encantados agradecem.

Prestação de contas - fevereiro/2008



Nova internação da Pretinha + medicação









25 Kg ração



















Saldo final ZERO

4 de mar de 2008

Semana difícil

Semana passada foi uma das mais difíceis desde que o projeto se iniciou. Como nem sempre tudo dá certo, resolvemos atualizar o blog com as notícias, mesmo sabendo que elas não são tão boas assim.

Havíamos marcado mais quatro castrações para a sexta-feira, dia 29 de fevereiro. A princípio nossa idéia era levar mais quatro gatinhos do parque. Entretanto, fomos surpreendidos com a interdição do parque durante a semana das castrações, o que inviabilizou não apenas o pós operatório, como a própria captura dos gatos. Não havendo outro jeito, tivemos que desmarcar as castrações.

Mas como já havíamos nos programado para ficarmos livres no dia 29, resolvemos que castraríamos, no veterinário particular, os gatos que conseguíssemos pegar no condomínio que também atuamos entre a Barra e o Recreio.

Estava tudo pronto, eu e Sônia sairíamos da Tijuca às 14:00 do dia 29. Estávamos muito empolgadas, felizes por dar continuidade a esse trabalho e por não deixarmos as dificuldades nos abater.

No dia 28, eu ligo para uma pessoa de confiança que mora no condomínio para confirmar nossa ida lá no dia seguinte. Aí, quase caio para trás! Sou informada nesse momento que muitos os gatos morreram no condomínio, sob suspeita de envenenamento, e que já haviam pelo menos seis gatinhos mortos!

Diante da situação, novamente tivemos que mudar nossos planos e não pudemos realizar as castrações no dia 29.

Passei o dia 29 todinho no computador escrevendo, divulgando o envenenamento, porque acredito que nessas horas quanto mais se espalhar a informação, melhor. Assim, atualizei meu blog, escrevi em várias comunidades do orkut, escrevi para amigas gateiras e também para a imprensa. Por outro lado, fiquei monitorando tudo o que ocorria no condomínio.

Nesse ponto, peço licença a todos porque vou descumprir o que ficou combinado no post anterior, vou falar o nome do condomínio em que atuamos: é o Barra Sul. Faço isso com bons motivos, porque acredito que todos devem saber dessa atrocidade que aconteceu lá na semana passada.

Não acredito que ainda existam pessoas capazes de tamanha crueldade...

No sábado, dia 1º de março, eu e a Sônia recebemos um pedido de ajuda da Anabela, uma moradora do Barra Sul, e, como não poderia ser diferente, fomos ao local.

Encontramos alguns gatinhos sobreviventes. Vejam um deles:



A Anabela decidiu ajudar um gatinho do Barra Sul, abrigando-o até ele ser doado. Assim, montamos a armadilha e ficamos esperando algum gatinho morder a isca. Aquele que entrasse na armadilha ganharia uma vida melhor.

As horas foram passando e mesmo morrendo de fome, nenhum gatinho se atreveu a entrar na armadilha. Durante esse período de longa espera fomos hostilizados, alguns moradores do local jogaram frascos de shampoo e condicionador nas nossas cabeças, assustando os gatos com o barulho.

Fomos na intenção de ajudar, de retirar um gatinho da rua e esses moradores não tiveram a sensibilidade de perceber que não fomos lá para piorar a situação deles, mas para melhorá-la.

Claro que queríamos retirar todos os gatos do local, mas levar para onde?

Às 21:30, eu tive que ir embora. Sônia e a Anabela ficaram. Quando eu já estava quase chegando em casa, recebo a ligação da Sônia. Elas conseguiram pegar um gatinho!

Ufa! Nossa viagem não foi em vão. Um gatinho foi resgatado e, embora pareça pouco, para a gente já faz uma diferença ENORME!

Depois vamos tirar fotos dele e divulgá-lo para adoção. Aliás, dela, é uma menina!

Ah, gente! Ainda essa semana tentaremos pegar alguns gatinhos do parque para levarmos ao Dr. Marcelo, veterinário particular, já que com a interdição do parque o pós operatório lá será impossível.