1 de mai de 2008

Muitas notícias.

Essa semana foi muito corrida para mim, tanto que só agora estou tendo tempo de atualizar o blog.

Mil desculpas! Vou aproveitar para contar tudo de uma vez só.

Muita coisa aconteceu nesses dias, gente!

No dia 18 de Abril fizemos novas capturas.

Desta vez combinei com a Sônia de nos encontrarmos lá. Eu fui direito de casa, enquanto que a Sônia passou no veterinário para pegar as gatinhas que foram castradas na semana anterior.

Logo quando cheguei no parque, a tia Rô me disse que já tinha pego um gato, oba! Disse que ele estava preso dentro da gaiolinha, dentro de uma sala. Resolvi, então, esperar a Sônia para transferir o gato para a caixinha de transporte.

Ainda antes da Sônia chegar, consegui pegar uma gatinha usando o gaiolão, é a única siamesa de lá, que por sinal é muito parideira.


Quando a Sônia chegou, ficou super feliz com a notícia! Dois gatos capturados às dez da manhã. Pensamos: hoje promete! Vamos capturar muitos gatos!

Antes, porém, soltamos os gatos que a Sônia trouxe do veterinário. Vejam:




Depois fomos às capturas. Armamos as armadilhas e ficamos esperando algum gatinho entrar. Um até chegou perto, mas já era castrado. Ficamos esperando, esperando e nenhum entrou na armadilha.

As horas foram passando, passando e nada! Gente, cada vez que vamos ao parque está ficando mais difícil capturar gatos, porque os muitos já estão castrados e aqueles que ainda não foram castrados têm medo de gente e sequer chegam perto!

Depois de quase duas horas, quando já estávamos desistindo daquele ponto no parque, avistamos um gatinho. Estávamos dentro do carro, indo para outra área. Falei: Sônia, pára! Tem um gatinho aí no mato!

Paramos o carro como deu e colocamos uma armadilha perto do gato, de forma improvisada mesmo. Esperamos, esperamos e, ufa, o gatinho entrou na armadilha. Mais tarde descobrimos que trata-se de uma gatinha.

Depois dessa captura fizemos um pequeno descanso numa barraquinha do parque. Lá observamos alguns gatinhos com o corte na orelha. Um dos gatinhos se aproximou de mim e me pediu comida. Depois da castração muitos gatinhos ficaram mais dóceis, esse comeu na minha mão e eu, ainda, consegui fazer carinho.


Depois da pequena pausa, voltamos às capturas. Tentamos por mais algum tempo, mas não conseguimos pegar mais nenhum gato.

Resolvemos, então, que era hora de irmos embora. Assim, fomos transferir para a caixinha o gatinho que a tia Rô capturou. Gente, qual não foi a nossa surpresa ao chegarmos na sala aonde a tia Rô deixou a gaiola e a encontrarmos vazia?!? Como assim?

A tia Rô disse que amarrou bastante a gaiola, e, de fato, a gaiola estava bem amarradinha. Mas cadê o gato? Não sabemos o que aconteceu, não sabemos se o gato fugiu, como ele figiu, ou se alguém o ajudou a fugir. Só sabemos que a gaiola estava lá amarradinha e sem nenhum gatinho dentro.

Tadinha, a tia Rô estava toda feliz que tinha pego um gato! Nós também ficamos desanimadas, mas nada podia mais ser feito. Há coisas que acontecem naquele parque que ninguém sabe explicar...

Por fim, levamos para o veterinário só dois gatinhos mesmo, aliás, duas gatinhas.

Dias depois a Sônia ficou doente, ela pegou dengue. E confesso para vocês que eu acho que foi lá no parque mesmo porque lá tem muito mosquito e nós fomos piadas diversas vezes. Por algum milagre de Deus eu não fiquei doente.

Com a Sônia doente e a Ângela com viagem marcada, só restava para mim a tafera de buscar as gatinhas no veterinário. Mas como? Eu não sei dirigir, não tenho carro e para piorar estava em provas na Faculdade, atrasada em minha monografia e ainda por cima, a semana foi reduzida por conta dos feriados e não tinha como eu faltar ao trabalho! Mas como para cada desafio, Deus nós dá uma solução, recebi um apoio muito importante nesse momento. Meu namorado se ofereceu para buscar as gatinhas no veterinário. Assim, nosso programa de sábado foi levar as gatinhas de volta para o parque.

Devido a tantos problemas, não pudemos fazer novas capturas. A Sônia ainda está se recuperando da dengue e precisará de mais alguns dias de descanso.

Eu também estou precisando de alguns dias para estudar e dar um rumo à minha monografia. Mas como fazemos sempre o possível e o impossível para ajudarmos esses gatinhos, na outra semana deveremos retornar as castrações.

Até lá, então.

Antes que eu me esqueça: precisamos fechar logo a rifa, porque só teremos dinheiro para castrar mais quatro gatinhos. Vamos ajudar, gente! O sucesso desse projeto depende da participação de vocês.

Renata Márcia

Com mais esses dois gatinhos, chegamos ao número de VINTE E TRÊS Gatos Encantados castrados (17 fêmeas e 6 machos). Castramos, também, duas fêmeas e 1 macho capturados no Barra Sul.

4 comentários:

Sheila Castro disse...

Meninas, que trabalho lindo!!!

Melhoras p/Sonia!

Beijinhos

Sônia Schmidt disse...

Já estou beeeem melhor! Obrigada!

Anônimo disse...

Em primeiro lugar: parabéns pelo trabalho!
Segundo lugar: Qual a armadilha que voces usam?Preciso pegar uma gata que sumiu e reapareceu dias atras numa casa...ela está muito arisca....por favor me falem como posso pega-la

Sônia Schmidt disse...

Anônimo
Mande um e-mail para gatosencantados.blogspot.com para que possa te explicar direitinho, tá?