26 de set de 2010

Gatos Encantados – e a FAUNA local...

Hoje, 25/09, foi dia de Parque.

Decidimos ir um pouco mais tarde, para ficarmos até a hora que o segurança da Cidade Fantasma diz ver os gatos por lá.

Sônia veio até minha casa pra buscar mais um pacotão de ração (da doação mensal que recebemos – Obrigada, nosso Benfeitor Anônimo) e já trazia no carro mais um pacotão de 25 quilos que tivemos que comprar.

Como todos sabem, ganhamos 100 quilos de ração por mês. Mas, atualmente, isso é pouco e temos que comprar mais cerca de 50 quilos mensalmente para alimentar todos os gatos (e gambás...) de lá.

A Lei de Murphy nos pegou direitinho... rs

Meu prédio tem 2 elevadores. Um está sendo modernizado e está parado... e o outro QUEBROU ontem de noite... rsrs

A nossa sorte é que não moro em andar alto e deu pra gente carregar o pacote de 25 quilos escadas abaixo. Estamos ficando com os “bíceps” lindos! Rsrs

Fomos direto para a Cidade Fantasma.

Não vimos nenhum dos Quatro Mosqueteiros lá. O consumo de ração foi compatível com a quantidade de gatos que imaginamos que se alimentam por ali. Mas não vimos nenhum sinal dos gatos de sempre.

Combinamos com os seguranças que voltaríamos no final da tarde para ver os gatos que eles dizem ver nesse horário e fomos para o Parque.

Hoje começamos de “trás pra frente”... Passamos antes na Frente do Parque para deixar os pacotes de ração.

Os comedouros estavam quase vazios. Os gatos estavam todos por ali!
Júnior, Tigrão (amigo do Junior), a Tigradinha que estava com Piometra, Sandy, Melancia uma outra Tigradinha e o Branquinho. Todos com fome!

Júnior e o amigo Tigrão
Branquinho
Os "meninos" comem de um lado...
... e as "meninas" do outro (se bem que, pelo que me lembro, Melancia é macho!).


Fizemos um super banquete, abastecemos os comedouros e, de repente, indo de um lado para o outro da Frente do Parque (os gatos se dividem nessa parte: Júnior, Branquinho e o Tigrão ficam de um lado e os outros do lado oposto), eu vi um “rabo” de animal dentro do lugar onde fica o comedouro das “meninas” (Sandy, a da Piometra, Melancia e a Tigradinha)...

Falei com a Sônia que tinha mais um gato comendo... e voltamos pra ver quem era... GATO???? Qual o que! Uma GAMBÁ imensa!
Sônia achou o bicho bonitinho... eu achei um HORROR! Um bicho horrível!
Ela saiu de perto do comedouro, fazendo um monte de “FSSSS” e subiu numa árvore, com uma facilidade que eu nunca tinha visto na vida!

Ah, Angela, deixa de ser má! O bichinho é bonitinho! E, de novo, haja ração!

Bem... comida e banquete servidos (e gambá espantada), fomos fazer a nossa “ronda”.

Paramos no “cantinho” do Vaquinha Miador, vulgo BEBÊ, e ele veio de longe correndo e miando. Dessa vez ele não estava no mangue. Estava do outro lado, pegando um solzinho tímido.
Bebê estava com o comedouro vazio. Encostado no mangue, é possível que as gambás façam a festa com a comidinha dele, né?

Depois de muitas “amassadas”, tivemos que continuar a “ronda”... e decidimos levar, mais uma vez, o Bebê para o Reduto da “tia” Sônia.. Quem sabe dessa vez ele ficava por lá, né?

Não gostamos de ver o Bebê tão sozinho... Adoraríamos que ele morasse com os outros gatos. Lá sempre tem comida e temos a impressão que estaria mais protegido...

Sônia achou por ali uma caixa de acrílico que resolvemos levar para montar uma caminha super chic para um dos gatos. Achamos que vai ter um “revezamento” de uso... rsrs
Ainda temos pedaços de cobertor e levamos para o Reduto da “tia” Sônia.

A caixa (um espetáculo) e o test drive com Sophie, é claro!!!


Bebê no colo, janelas do carro bem fechadas, fomos para o Reduto.
Ele parecia “preocupado” com a viagem (super curta... uns 400 metros).

Quando chegamos lá, todos os gatos estavam a nossa espera!

Abri a porta do carro e esperei que o Bebê decidisse a hora de descer do carro (torcendo muito pra ele não sair correndo de volta, né?).

A boa notícia é que o Bebê desceu do carro e não saiu correndo!

Sophie foi logo dar uma “cheiradinha” nele... O Pretinho com a ponta do rabo Branca, vulgo GORDO, também foi muito gentil com o Bebê.
Patynho, Mãe e Filhota e os outros pretinhos receberam o Bebê muito bem!

Bebê se ambientando

Bebê sendo recebido por Sophie e pelo Gordo

Olhem como o Gordo é gostoso!!!!!!!!!
Não dá para deixar essa foto de fora! Mamãe a a Filhota sempre grudadas!

Os comedouros dali também estavam com pouquíssima ração... e corremos para abastecê-los. Foi uma festa! Os gatos correram para os comedouros e se fartaram... Achamos que o restinho de ração que estava lá não devia estar mais com o “cheirinho” que eles tanto gostam.

Nada como uma ração fresquinha, né?

Fui preparar o Banquete e o Bebê atrás de mim...

De longe, dava pra ver a Silatinha (EX) Fujona, a linda irmã dela e a Sialatona.
Sialatinha e irmã, pra variar, bem longe da gente.

A sialatinha...
... e sua irmã

A hora do Banquete foi outra festa. Colocamos as bandejinhas e uns potinhos (para os mais tímidos) para que todos pudessem comer a vontade.

Banquete - reparem no dengo entre Bebê e Sophie!

Bebê participou da “farra”, apesar de já ter comido lá no seu cantinho.

Ah... os pombos também fizeram a festa... Até que Sophie decidiu dar uma de “gato”!
Ficou de tocaia perto do comedouro e espantou os pombos. Mas eles já estavam bem alimentados...

Os pombos se fartando... assim não há ração que chegue, né?
Depois que os pombos se fartaram Sophie, corajosamente, resolveu tomar conta da ração!

Então, fomos cuidar dos gatos da colônia transferida.

Bebê, Gordo e Patynho nos seguiram o tempo todo. Coisa mais linda!

No meio do caminho, a Gatinha do Quiosque nos “abordou” e foi acompanhando a nossa caminhada junto com os outros gatos.

Alguém lembra da Flauta Mágica? Igualzinho... só que não eram ratos... e sim GATOS!

A Flauta Mágica

Hoje a gatinha da mancha no nariz não deu ar de sua graça... Mas os outros gatos nos esperavam “ansiosos”...

Três gatos comendo em 1 potinho e a gatinha do quiosque comendo em outro

O clima entre o trio que nos seguiu e os gatos dessa colônia não foi muito pacífico e decidimos levar os gatos de volta para o pedaço deles.

Cada um no seu quadrado, né?

E eu e Sônia voltamos, com o trio andando atrás da gente... Muito lindinhos!

De volta ao Reduto da “tia” Sônia, ficamos sentadas ali, no chão, pensando no que fazer para manter o Bebê ali.

Fizemos muitos carinhos nele, em Sophie e no Gordo... Eles ficaram amiguinhos.

Os outros gatos ficaram deitados no terreirão, com a barriguinha bem cheia, ora tomando banho, ora cochilando...

De repente, ouvimos uma “conversa” entre duas aves... Piados muito altos que eu nunca tinha ouvido antes. Sônia achou que eram Maritacas... mas o som das Maritacas eu conheço... e não era!
Sônia foi fotografar os gatos e a câmera estava programada para filmar e acabamos gravando a “conversa”...

Os sons...

Ficamos olhando para as árvores de onde vinham o som e descobrimos se tratar de dois PAPAGAIOS! Certamente um casal... e que viverão felizes para sempre!
Não são os papagaios que vivem com um único parceiro a vida toda?
Ficamos emocionadas!

O papagaio fazendo a corte... parece que convenceu, não é?

Ah... vimos, também, um gato preto que não temos certeza se já é castrado... Pois só o vimos de muito longe. Eu acho que é um dos pretinhos que já levamos pra castrar há muito tempo. Sônia ficou em dúvida.

Gato preto que não reconhecemos

Começamos a “cantar pra subir”. Tínhamos que comer alguma coisa e voltar para a Cidade fantasma.
Mas, e o Bebê? Será que ficaria por ali? Será que seguiria o carro?

Ele estava deitado, bem a vontade, no meio do Terreirão...

Entramos no carro discretamente e nem nos despedimos dos gatos para não chamar a atenção do Bebê.

Ele ficou olhando para o carro e não fez menção de sair dali. Tomara que ele decida morar junto com os outros gatos...

No caminho, avistamos a Cor-de-Rosa. Sônia colocou um potinho de ração pra ela, mas, é claro, ela “se mandou”... Certamente ficou por perto e voltaria pra comer, né?

Tigrada Cor-de Rosa

Voltamos para a frente do Parque para pedir que o segurança abrisse o portão para sairmos e aproveitamos para dar mais umas amassadas no Branquinho e no Júnior.

E fomos lanchar.

Voltamos, então, para a Cidade Fantasma.

Logo na entrada, meu coração disparou! Já estava meio escuro e eu vi um gato peludo... Com rabão... Escuro e branco...

Lógico que pensei ser o Vaquinha-Pai... Mas não era!

Era a Fera do Buraco. Mãe do Laranjinha.

Ela está linda! Fazia tanto tempo que não a víamos... Foi uma surpresa.

A "Fera do Buraco" - não a víamos desde 05/06/2010 (claro que pesquisei no blog, pois minha memória não é tão boa assim...)


O segurança disse que é um dos gatos que freqüenta o lugar no final da tarde.
Como a pelagem dela é muito escura, o outro segurança pode ter confundido com o vaquinha-Pai (eu confundi! Imagina ele, né?)

Ficamos um tempão por ali, passeando dentro da Cidade Fantasma, esperando o aparecimento dos outros gatos e pensando...
Será que os gatos dali migraram para outro lugar? Será que morreram?
Nenhum outro gato apareceu hoje. Pelo que eles descrevem, imaginamos ser a família da Escaminha.

Nunca saberemos o que aconteceu.

Mas temos uma certeza: Conseguimos impedir que, seja lá o que for, continue acontecendo com gatos naquele lugar.

Pelas nossas contas, só faltam DOIS gatos a serem castrados e todos os outros não deixarão descendentes abandonados.

A nossa proposta sobre os Gatos Encantados sempre foi essa... Castrar os gatos e quebrar o Círculo Vicioso que existia lá de procriação e perpetuação do abandono.

Sabemos que vamos passar por essa tristeza a cada “sumiço” de cada gato... Mas também já sabíamos disso quando começamos.

Dói? Muito... Talvez mais do que imaginávamos que doeria.

Mas vai doer só dessa vez, né? Futuramente, não existirão mais gatos naquela colônia para entristecer nossos corações.

Com o coração apertado, comunicamos que não serão mais incluídas, nos próximos relatos, notícias da Cidade Fantasma.
A não ser que tenhamos alguma novidade.

Claro que continuaremos a ir lá. Claro que continuaremos a abastecer e limpar o Cafofo. E é claro que, se tivermos alguma novidade, colocaremos aqui em letras garrafais!

Mas, por enquanto, nos próximos relatos, não falaremos mais sobre o Cafofo.
É muito triste para nós e precisamos manter o equilíbrio emocional nosso e o de vocês.

19 de set de 2010

Gatos Encantados – O Mistério Continua...

Fomos ao Parque ontem, 19 de setembro. Dia frio, chuvoso...

Nossa primeira parada foi na Cidade Fantasma. Estávamos ansiosas pra ver se os Quatro Mosqueteiros apareceriam.

Assim que chegamos, o segurança do portão nos disse ter visto uns 5 gatos por ali pela manhã... Nos enchemos de esperanças e nos dirigimos para o Cafofo.

Vimos o Laranjinha em frente a porta de uma das lojas abandonadas bem antes do Cafofo. Ele estava molhado (de chuva), encolhido e com uma carinha de muito assustado.

Assim que paramos o carro, ele saiu correndo e entrou pela porta do prédio principal (que é imenso e tem dois andares). Laranjinha FUGIU da gente!

Montamos a armadilha onde ele estava antes na esperança de capturá-lo. Colocamos Whiskas Sachê e fomos limpar o Cafofo.

Nenhum outro gato apareceu.

O consumo de ração foi o esperado... Ou seja, cerca de 10 ou 12 gatos se alimentam ali.

Entrei pelo prédio abandonado, andei por lá, chamei... E nada.

Reabastecemos os comedouros e resolvemos deixar a armadilha montada lá, enquanto íamos ao Parque. Voltaríamos depois para ver se o Laranjinha estaria na armadilha.

Avisamos aos seguranças que voltaríamos e partimos para o Parque.

Nossa primeira parada foi no cantinho do Vaquinha Miador. Ele já estava nos esperando...

Como é querido esse gatinho! Nosso sonho é conseguir um adotante pra ele!

Nossa idéia sobre o comedouro dele deu certo! Estava vazio, mas no lugar.
(ele também come com os outros gatos)

Comedouro do Vaquinha Miador, todo adaptado (viramos Mac Gyver!!!)

Servimos uma lata de Whiskas inteirinha pra ele! É um gatinho que optou por viver sozinho... Mas adora quando chegamos lá. Mia bastante, se deixa pegar no colo, “amassa pãozinho” só da gente olhar pra ele... É encantador...


Vaquinha Miador - existe coisa mais gostosinha?

Bem... o dever nos chamava e fomos para o Reduto da “tia” Sônia... Outro deserto... Somente os gatos estavam lá.
Tenho a impressão que a visão que esses gatos têm de mim e da Sônia é de uma latinha de Sabor e Vida (ou Whiskas Sache) com dois braços e pernas...

Eles nos rodeiam e miam... rs Só param depois que servimos o Banquete.

Estavam quase todos lá. Menos a Sialatinha (ex) Fujona (ela já tinha horror da gente... agora então...)

Mas a Sialatona estava por lá e até a irmã (linda) da Sialatinha (ex) Fujona ficou de longe...

Sempre looonge!

Enquanto preparo o Banquete, a Filhota, sem o menor “pudor”, sobe no carrinho e rouba um pouquinho da comida... e, a gula é tanta, que já faço carinhos nela. Mas, depois que ela está saciada, nem olha pra mim! rsrs

Banquete, como sempre!

Banquete servido, fomos levar um “agradinho” para os gatos da Colônia Transferida.

Um deles já nos esperava num Gazebo, no meio do caminho. Achamos que era o outro gatinho do Quiosque (eram 2, lembram?). Ele foi nos seguindo e miando.. Uma graça.

Agora estão acostumados com o banquete

A Gatinha do Quiosque não apareceu...

Servimos o Banquete para eles e uma gata, lindíssima, castrada logo no início do projeto e que quase nunca aparece, estava lá... Linda com a sua marquinha inconfundível no narizinho.

Vejam que lindeza!!!

Depois do banquete, o banho!!!

Quando fomos abastecer o comedouro deles, sentimos falta da tampa... e começamos a procurar.

Eu sou um pouco fresca... Mas a Sônia, literalmente, se deitou no chão pra procurar... Achamos a tampa em lugar fácil e a Sônia ficou imunda a toa... rs

Imuuuunda!!!!!!!!!!!!!


Voltamos ao Reduto da “tia” Sônia e vimos cenas lindas... Estava meio frio... e os gatos estavam agrupadinhos. Aquecendo-se uns aos outros.

Gatinhos se aquecendo


Sophie, Pretinho com a ponta do rabo branca, os outros Pretinhos, Mamãe e Filhota, Patynho... Todos lindinhos e gordinhos... (Patynho está uma bolinha!)

Sophie teve pneumonia quando era bebê; acho que esse é o motivo do seu miado "charmoso"

Não podíamos demorar muito e ainda tínhamos que ir na frente do Parque e fomos embora.

Lá na frente, estavam a Tigradinha (da Piometra), Melancia (que não deu pra fotografar) e a Sandy.

Tigradinha (que teve piometra) e outra gatinha que não tem nome


Elas deram uma “circulada” pelo Parque e nós fomos atrás para fotografá-las.

Do outro lado, estavam o Júnior e o Tigradão amigo dele.

Júnior e o seu amigo Tigradão


O Branquinho não apareceu. Mas sabemos que está ele estava por lá de manhã. Como ele descobriu um jeito de entrar na sala da Administração pelos dutos do ar condicionado (desativados), devia estar lá dentro.

Branquinho é surdo. Portanto, não adianta chamá-lo, né? Mas deixamos bastante comidinha especial (Banquete) pra ele comer quando saísse.

Hoje, pela primeira vez, eu vi um gatão cinza e branco, visitante, que ainda não castrado. A Sônia já tinha visto ele... mas eu nunca tinha conseguido.

Gatão não castrado

Infelizmente tínhamos deixado a armadilha lá na Cidade Fantasma... Não pudemos tentar capturá-lo. Mas ele será capturado!

Comedouros abastecidos, voltamos para a Cidade Fantasma...

A armadilha estava intacta... Nem a comidinha colocada por perto estava mexida...

Ou seja, Laranjinha não deve ter saído do seu novo esconderijo...

Com o coração pesado, eu e Sônia preparamos o Banquete e deixamos na varandinha do Cafofo.

Ainda ficamos lá, bem quietas, pra ver se alguém aparecia... e nada.

Resolvemos ir embora.... Mas paramos pra conversar com os seguranças.

Eles disseram que, de vez em quando, vêem alguns gatos por lá. Mostrei as fotos do Vaquinha-Pai, da Mãezinha e do PPA.

Um deles identificou a Mãezinha e o PPA... Mas, como tem o Laranjinha Sobrinho e a irmã dele (um pouco parecida com a Mãezinha), não temos certeza de nada.

O Vaquinha-Pai parece que não tinha sido visto mesmo.

Deixamos nossos telefones com eles. Como temos uma excelente relação de respeito e camaradagem com eles, achamos que nos darão notícias e ficarão mais atentos.

Eles viram a nossa aflição. Tanto que, de tardinha, um deles telefonou pra Sônia e disse ter visto o Vaquinha-Pai...

Não podemos afirmar se isso foi um ato de generosidade dele para nos dar um pouco de tranqüilidade ou se realmente o Vaquinha-Pai ainda está por lá.

Estamos muito aflitas. É um mistério e nunca saberemos o que está acontecendo.
Isso é angustiante.

Sempre soubemos que os gatos de lá vão sumir... Aos poucos, acreditávamos...

Mas, de uma semana pra outra desaparecerem 3 gatos e termos que assistir ao comportamento do Laranjinha, tão assustado, é de cortar o coração de qualquer um.

Não sabemos se devemos manter alguma esperança deles reaparecerem.

Não sabemos se temos que dá-los como “perdidos”... Não sabemos...

Estamos tristes.

Mas temos, como alento, a certeza que eles tiveram uma vidinha bacana... Comida farta, lugar para se abrigar, não deixaram mais filhotes abandonados...

Mas estamos tristes.

Não vamos desistir de capturar o Laranjinha. Nós o vimos por poucos minutos, mas deu pra ver que o olhinho dele está com um machucadinho e queremos tratá-lo. E, talvez, levá-lo para dentro do Parque.

Enfim... O mistério continua.

11 de set de 2010

Gatos Encantados – De volta para o aconchego...

Hoje, 11 de setembro, fomos ao Parque.

Passamos na clínica para buscar a Sialatinha (ex) Fujona, devidamente castrada, e levá-la de volta para o “seu aconchego”.

Ela estava bem quietinha... Assustada, né?

Fez todo o trajeto sem dar um pio!

Sialata fujona voltando para "casa"

Como estávamos muito ansiosas, passamos primeiro na Cidade Fantasma pra ver se encontrávamos os nossos Quatro Mosqueteiros...

Qual o quê... Nem sombra.

Tinha um caminhão lá esvaziando a última loja que ainda tinha alguns móveis...

Os comedouros do Cafofo tiveram o consumo esperado. Isso significa que ainda estão se alimentando ali.

De qualquer forma, preparamos o Banquete e tive a idéia de ir olhar o buraco do meio fio... Lá, eu vi o Laranjinha... Assustado, quieto... Não sei se por causa do caminhão ou por outro motivo.

Laranjinha dentro do buraco; não saiu de jeito nenhum.

Coloquei um pouco do banquete num potinho e coloquei dentro do buraco. Fiquei olhando um pouco e vi que ele se interessou pela comidinha.

Reabastecemos os comedouros do Cafofo e fomos levar a linda Sialatinha (ex) Fujona de volta pra casa, já pensando em dar uma nova passada lá na volta.

Fomos, então, para o Parque.

Hoje, por estarmos levando 3 sacos de ração (75 quilos), fomos autorizadas a entrar com o Veículo Poluente Politicamente Incorreto (VPPI).

Nossa primeira parada foi no Reduto da “tia” Sônia.

Os gatos vieram correndo ao nosso encontro! Quer dizer... a irmã da Sialata (ex) Fujona não deu o ar de sua graça. Mas todos os outros estavam por ali!

Dá para acelerar o banquete??

Abrimos a caixinha de transporte para a Sialatinha sair e ela não saiu no chão, apesar de ter sido recepcionada pelos outros gatos...

Daqui não saio...

Aí, Sônia colocou a caixinha em cima da mureta... e ela voltou para o LAR dela.

Agora sim!!!!!!!!!!!

Comecei a preparar o Banquete e, claro, a Filhota deu um show... Subiu no carrinho onde preparo o Banquete. Dessa vez, deu tempo da Sônia fotografar!
Peguei a Filhota no colo!! Fiquei super emocionada! (sou meio boba...)

Filhota!!!!!!!!!!!!!

Logo todos se juntaram em volta dos pratos. A Sialatona recebeu o potinho dela separado dos outros gatos. Tem dias que ela participa do Banquete com todos os gatos... Tem dias que não se aproxima muito.

Banquete (eles adoram)

Sialatona
Um lorde, esse pretinho com a ponta do rabo branca
Amigos para sempre...
Sophie, a irresistível!!!!!!!!!!
E gulosa!!!!!!!!!

Aí, fomos para a Colônia Transferida...

Eles já ficaram mal acostumados também! Já exigem o Banquete!

Não todos... Mas tem 2 tigrados e a Gatinha do Quiosque que ficam por ali nos esperando. Os outros só ficam de longe.

Cada um no seu quadrado...

Chegou a vez do Vaquinha Miador! A coisinha mais querida do mundo!
É incrível como é difícil fotografar esse gatinho sem estar com o bocão dentro do pote de comida! rs
Ele está cada dia mais amoroso. Um encanto de gato!

Vaquinha Miador é um fofo!!!!!!!!!!!!

E é lindo!!!!!!!!!!!!!!

Dá uma peninha na hora de ir embora...

Bem... fomos, então, para a frente do Parque deixar os pacotes de ração e dar uma olhada nos gatos de lá. Queríamos muito encontrar a gatinha que devolvemos semana passada (a da Piometra...).

Ração (semana que vem levaremos mais um saco)

Demos sorte! Estavam todos lá.

O Branquinho Surdo, Sandy, Júnior, Tigradinha, Melancia e o Tigrão. Ganharam um super Banquete!

Os gatinhos da frente do parque

Melancia e a Tigradinha que voltou na semana passada
Vou me esconder!

Sou... mas quem não é?

Bem... missão cumprida, voltamos para a Cidade Fantasma. Quem sabe, agora, sem o caminhão lá, eles não apareceriam, né?

Qual o quê...

Ninguém... Nem o Banquete que colocamos foi mexido...

Olhamos tudo de novo... Nem o Laranjinha estava mais no buraco do meio fio.

Eu e Sônia ficamos “elocubrando” um milhão de possibilidades... e não chegamos a nenhuma conclusão. É impossível saber o que pode ter acontecido ali, ou se aconteceu alguma coisa mesmo...

Pois já passamos por isso diversas vezes. Ficamos um tempão sem ver alguns gatos e, de repente, eles reaparecem como num passe de mágica.

Claro que sabemos que já perdemos alguns gatos e que perderemos outros...

Claro que sabemos que isso pode ter acontecido com alguns dos nossos 4 Mosqueteiros...

Não sei se estamos preparadas pra isso... Mas temos que estar, né?

Mas nem tudo são espinhos...

E, quando entramos no carro para virmos embora, vi, de longe, um Tigrado...

Saímos do carro e fomos atrás pra ver quem era...

Fui na frente... e vi outro Tigradinho...

Eles passaram pela grade que divide o terreno da Cidade Fantasma do terreno do Parque...

Mas pararam pertinho da grade e eu consegui fotografá-los!

Era a Cor-de-Rosa! Ela está linda! Gordinha e bem faceira!

Tigrada cor-de-rosa

A outra Tigradinha era a filha da Escaminha! A que castramos quando capturamos os três irmãos...

Parte da família Escaminha

E, deitadinho em cima da calçada, nada mais nada menos que o Laranjinha Primo! (filho da Escaminha também!)

Laranjinha Primo

Já fazia um tempão que não os víamos!

Nossos corações que estavam pesados, se encheram de alegria...

Uma Montanha-Russa de emoções... Há que se ter coração forte...

Claro que estamos preocupadas, tristes, angustiadas... Mas também estamos felizes por ver todos os outros gatos.

Quem sai na chuva, é pra se molhar, né?

Eu e Sônia decidimos “sair na chuva”... sem capas, guarda-chuvas ou “galochas”... Vamos ficar encharcadas... De alegrias e tristezas... Mas ficaremos absolutamente encharcadas de fortes emoções e de certeza que estamos interrompendo um círculo vicioso de abandono nessa colônia.

Quando não existirem mais Gatos Encantados, também não existirá mais NENHUM gato largado à sua própria sorte naquele lugar. É isso que nos move!

Algumas fotos para vocês terem ideia de como é o parque.