22 de jul de 2012

Gatos Encantados – Outro dia mais triste...

Mais uma vez, tenho a difícil incumbência de escrever sobre outra perda.

Esse relato também não terá fotos.

Dia 19 de julho de 2012, quem nos deixou foi o nosso repolhudinho amado...

Patynho foi ficar com Sophie.

Foi tudo tão rápido, que ainda nem acreditamos no que aconteceu.

Na quarta-feira, dia 18/07, Patynho estava absolutamente normal.

Correu ao encontro do “banquete”, correu de algum possível carinho da Noêmia...

Tudo como sempre foi.

Na quinta-feira, quando Noêmia entrou no Gatil com o banquete, Patynho estava deitado numa poça de água. Noêmia estranhou na hora e se aproximou dele. Ofereceu um potinho com o petisco e ele não reagiu, chegou mais perto e ele não fugiu... Fez carinho e ele aceitou.

Alguma coisa estava errada! E Noêmia, sempre atenta demais com eles, já começou a arrumar as coisas para levá-lo ao veterinário. Quando Noêmia me ligou pra avisar, já estava de saída com o nosso “croquetinho” para o veterinário.

Patynho foi atendido e estava com a temperatura muito baixa. Tinha também uns gânglios inchados no pescoço e nas patinhas de trás.

O veterinário agiu rápido e marcou um ultrassom para a sexta-feira.

Noêmia não saiu do lado do Patynho.

Fez todos os carinhos que ele, durante esses quase cinco anos, não permitiu que fossem feitos. Deu todos os beijos que eu e Sônia gostaríamos de ter dado nele...

Obrigada, Noêmia, por amar tanto os nossos Encantados.

Obrigada por ter mostrado pra ele o quanto era amado.

E, de repente, Patynho teve uma parada cardíaca. Foi suave... Nosso bichinho dormiu pra sempre tranquilamente, deixando nossos corações em pedaços.

Patynho sempre nos pareceu um gato com a saúde frágil.

Teve feridas na pele, que chegamos a pensar em alguma doença séria, mas ele ficou bom. Isso aconteceu algumas vezes.

De vez em quando, a pelagem dele perdia o brilho e o viço, e ele ficava bem de novo.

O surto de rinotraqueíte o atingiu de forma contundente, mas ele conseguiu vencer de novo.

Mas perdemos para a FeLV mais uma vez. E de uma forma tão devastadora, que nos deixou arrasadas.

Apesar dessa dor que não cabe dentro da gente, foi um alento saber que o nosso croquetinho repolhudo não sofreu por muito tempo.

Patynho era um dos gatinhos que sempre esteve com a gente. Desde o início do projeto. Já devia ter uns cinco aninhos.

Nunca permitiu que fizéssemos carinho nele, mas sempre demonstrou muita alegria quando chegávamos no Parque ou na Terra dos Gatos Encantados.

Rolava feito um “croquete” no chão... Coisa mais amada do mundo! O retrato de um gatinho feliz!

Vivia “despenteado”, fazia um monte de FSSS pra gente. Mas sempre tivemos certeza que ele nos amava... e muito! O gatinho mais fotogênico do mundo.

Por que tem que ser assim?

Eu quero acreditar que eles, Patynho, Sophie e todos os outros Encantados estão construindo uma outra Terra dos Gatos Encantados e é lá que, um dia, vamos encontrar todos eles...

Noêmia, Sônia e eu estamos tristes demais.

“Faz tempo que a gente cultiva

A mais linda roseira que há,

Mas eis que chega a Roda Viva

E carrega a roseira pra lá...”

6 comentários:

Karen disse...

Queridas, não tenho palavras... mas sintam-se abraçadas! Tenho certeza que ele partiu sentindo-se profundamente amado.
Bjuss

Angela Belluomini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Angela Belluomini disse...

Certamente, Karen...
Noêmia estava lá com ele!
Abraçou, beijou, acariciou... Tudo que sempre quisemos fazer e ele nunca permitiu!
Obrigada!

Anônimo disse...

Ai, que triste esse tipo de notícia... Infelizmente faz parte dessa loucura de emoções com esses anjinhos...
Bjs p vcs.
Simone F.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Patynho era meu Encantado preferido, fiquei muito triste. Descanse em paz Patynho