2 de out de 2010

Gatos Encantados – A Multiplicação dos Peixes... quer dizer, GATOS!

Hoje, 02/10/10, fomos ao Parque.

Dissemos que só falaríamos sobre a Cidade Fantasma se tivesse alguma novidade pra contar...

Bem, não é a novidade que gostaríamos de contar, mas lá vai:

Assim que chegamos, fomos direto para o Cafofo. Logo na primeira loja, que é um depósito de móveis velhos (onde morava o PPA), vimos um gatinho branco com bolas pretas deitado bem em frente... Logo depois, surgiu uma tricolorzinha (lindíssima)... e logo depois um vaquinha mais preto que branco!

Os gatinhos que nunca havíamos visto (faltou a foto de um deles)


Levamos um susto! Pois nunca tínhamos visto aqueles gatos!
(Céus... Tudo de novo...) Achamos que são filhos da irmã do Laranjinha, que não conseguimos capturar e nunca mais vimos.

Aparentam ter uns 6 meses. Eles também levaram um susto!

Rapidamente, entraram no depósito.

Colocamos a armadilha bem na porta e colocamos guloseimas...

E fomos cuidar do Cafofo. O consumo de ração foi menor que o esperado.

Enquanto limpávamos e reabastecíamos o Cafofo, outra surpresa!

O Laranjinha Sobrinho estava por perto e saiu correndo em direção ao Parque. Sônia foi atrás... e, através da grade, viu ele e Escaminha (mãe dele).

Laranjinha sobrinho

De repente, os dois, mãe e filho, caminhavam traquilamente em direção ao Cafofo.

Eles nunca fizeram isso... Principalmente a Escaminha!

Chegaram perto da gente... Quer dizer.. o que “eles” acham perto, né?

Família escaminha se aproximando

Corri até onde estava a armadilha e levei pra perto de onde estava a Escaminha.

Mas ela fugiu...

Então, resolvemos ir para o Parque e voltar mais tarde pra tentar capturar os filhotes.

A primeira parada foi no cantinho do Vaquinha Miador... OPS... Bebê!

Não é que o Bebê estava lá? E sozinho!

Decidimos não deixar mais comida lá pra ele. Afinal, são as gambás que fazem a festa, né?

Pegamos o Bebê, colocamos no carro e o levamos, de novo, para o Reduto da "tia" Sônia. Nós vamos vencer pelo cansaço! Ele vai morar lá!

Assim que chegamos no Reduto, todos os gatos vieram ao nosso encontro.
Essa recepção já é comum!

Bebê saiu do carro e ficou por ali, esperando o banquete como os outros.

Bebê sendo recebido pela Sophie

Banquete servido, hora de festa! Todos os gatos em volta da “mesa”... Uma cena que a gente não cansa de ver e fotografar...

O banquete é sempre lindo de se ver!

Preparamos o banquete da turminha da outra colônia e lá fomos nós... Gordo, Bebê e Patynho foram atrás.

No meio do caminho tinha uma gata... Tinha uma gata no meio do caminho...

E era a Gatinha do Quiosque!

Fizemos um Pit Stop pra deixá-la saborear um pouco da comidinha e seguimos para levar o banquete para os outros gatos.

Gordo e Patynho pararam no meio do caminho... Mas Bebê foi junto com a gente!

Os gatos dessa colônia também já sabem que ganham comida gostosa quando a gente chega... e não fazem mais cerimônia. Se aproximam com certa traquilidade.

Apareceram 5 para comer!

Voltamos, então, para o Reduto. Bebê voltou junto conosco e fomos “recolhendo” o Patynho, depois o Gordo e, pra nosso encanto, pegamos Sophie no flagra, deitada em cima dos bebedouros (atualmente desativados)...

A foto está horrível, mas aquela mancha preta é Sophie, a gostosa!

A Sialatinha (EX) Fujona e sua linda irmã estavam por ali. Mas, como sempre, evaporam quando a gente chega...

Sentamos no chão com os gatos por um tempinho... Bebê veio para o meu colo e Sophie ficou fazendo gracinhas pra Sônia.

Bebê no colo da Angela

Todos os outros gatos estavam deitadinhos sob um sol fraquinho (e muito vento), de barriguinha cheia e bem tranqüilos.

Mas tínhamos ainda que ir ver os gatos da frente do Parque e voltar para a Cidade Fantasma, né?

O momento no nosso “pedacinho de Céu” tinha chegado ao fim.
Bebê ficou deitadinho no meio do terreirão, junto com os outros gatos e fomos embora.

Sempre saímos de lá com um “gostinho de quero mais”... É tão bom ficar ali, com eles... Sabemos que eles gostam da gente. Do jeito deles, mas gostam!

Bem... Na frente do Parque estavam Melancia (Sônia jura que é macho!) e a Tigradinha (da piometra).

Melancia escondido
Tigradinha pronta para se esconder.

Não vimos mais ninguém por ali... Estava ventando muito e acho que os gatos estavam em seus cantinhos, onde se sentem protegidos.

Vimos o Gatão cinza e branco (que não é castrado) e montamos a armadilha... assim que terminamos de montar e colocar petiscos, ele desapareceu! Saiu correndo para dentro do Parque e não conseguimos ver nem um sinalzinho que fosse dele... Guardamos tudo de novo!

Colocamos banquetinhos para eles e fomos para a Cidade Fantasma.

Mesmo não vendo nenhum gato lá, montamos a armadilha na entrada do depósito e fomos para longe.

Ficamos lá um tempão... e nem sinal de gatos.

O vento aumentava... Eu estou com uma otite “das grandes” e Sônia, carinhosa como sempre, preocupada com minha dor de ouvido, achou melhor a gente ir embora antes que chuva caísse.

Recolhemos a nossa parafernália e fomos embora...

Um pouco desanimadas, temos que confessar. Tínhamos certeza que só faltavam 2 ou 3 gatos pra castrar e, com a Multiplicação dos Peixes, ou melhor, dos GATOS, lá vamos nós começar tudo de novo. Pelas nossas contas atuais, são 6 gatos pra castrar!

Mas temos que admitir... Os filhotes são muito lindinhos! Encantadores!

E esse foi o nosso dia.

4 comentários:

andrea marväo disse...

Oi amigas, puxa! Não sei se fico feliz ou fico triste, mas, os filhotes são lindos, sim. Tão pequeninos ainda. Eu sei q vcs ainda terão uma linda novidade sobre a cidade fantasma. Eu estava lendo posts anteriores e vi q vcs planejam construir um lugar especial p esses fofinhos. Como andam esses planos, onde vai ser a 'ala encantada'? Bjs ;D

Sônia Schmidt disse...

Andrea
Ficamos tristes, mas temos consciência de que isso aconteceria um dia; o que nos deixa cismadas é o desaparecimento simultâneo desses gatos...
Gostaríamos de construir, sim, mas estamos na estaca zero!
Não temos o lugar que achávamos que teríamos. Estamos, realmente, de pés e mãos atados!
Não podemos levar os Encantados para um lugar qualquer, pois seria decretar sentença de morte, não temos grana para comprar um terreno e contratar alguém para morar lá... enfim, é complicado.
Enquanto isso, continuamos com nosso foco: castrar e evitar que novos animais nasçam. E mantê-los alimentados, claro!!!

andrea marväo disse...

É, realmente. Se fosse p tirá-los de lá, teria q ser p um lugar seguro. Olhe, mas tenha confiança. Vcs têm reencontrado fofinhos q andavam meio sumidos a um tempão, não pode acontecer o mesmo com esses? Sabe o q eu imaginei? Se houver trânsito de pessoas por ali, eles não podem ter sido 'adotados' por alguém? Seria possível? Tenha confiança! P Deus nada é impossível! Bjs!

Sônia Schmidt disse...

Andrea
O trânsito de pessoas lá é próximo a zero. Mesmo que houvesse pessoas, dificilmente conseguiriam pegar algum daqueles gatinhos. Só com armadilha, mesmo.