8 de nov de 2007

Achamos importante informar que a decisão em manter os animais no parque foi tomada em conjunto com os funcionários que encontramos lá, que nos informaram que houve um episódio de envenenamento, sim, há três anos e que isto jamais se repetiu.

Infelizmente, não tivemos nenhum contato com os diretores, mas estamos pensando, seriamente, em marcar um encontro com eles para termos uma posição oficial e tentarmos um acordo.

Quem atua na área de proteção animal sabe que o pior que pode acontecer a um animal abandonado é ser levado para um abrigo, onde estará exposto à superpopulação e aos focos de doenças. Inclusive, este era o motivo para a quarentena dos gatos que seriam levados para lá: o abrigo estava sofrendo um surto de rinotraqueíte.

Vale a pena dar uma lida nestes artigos: http://www.tribunaanimal.com/artigos_protecao_02.htm (item 7 - abrigo); http://www.sitiodosbichos.com.br/portal/modules/news/article.php?storyid=9 (A ilusão do abrigo, por Ana Lúcia Leão - jornalista).

A ONG Adote um Gatinho se posiciona contra abrigos, vejam só:

Vocês podem indicar abrigos para que eu leve um gatinho pra lá ? Não. Os abrigos já existentes estão com superpopulação e é bom sempre ter em mente que grandes concentrações de animais são um perigo. Basta entrar um gatinho doente para gerar uma epidemia e uma série de mortes. É muito difícil ter um controle de saúde onde tantos animais vivem juntos. Abrigo não é solução, você poderá estar condenando o seu resgatinho à morte. (retirado do site http://adoteumgatinho.uol.com.br/faq.htm).

A PEA também é contra:

A PEA pode indicar abrigos para que eu encaminhe algum animal? Não. A PEA não indica e é contra a existência de abrigos. Os abrigos existentes estão com superpopulação de animais. (retirado do site http://www.pea.org.br/sobre.htm)

Hoje ficamos sabendo que o abrigo para onde os gatinhos, a princípio, iriam, está em fase final de despejo. A informação veio de uma pessoa que ajuda este abrigo. Ainda não confirmamos ; em breve traremos mais notícias.

Precisamos, mais do que dinheiro, de pessoas dispostas a arregaçar as mangas. Já encomendamos 5 gaiolas (que serão utilizadas, somente, durante o pós-operatório), ao custo unitário de R$ 65,00. As medidas da gaiola são: 1,00 x 0,60 x 0,60 e serão feitas em ferro galvanizado. Pretendemos encomendar mais, vamos ver se dá, pois temos que ter uma reserva para qualquer medicação que seja necessária.

Com 5 gaiolas, pegaremos 5 gatos, levaremos para castrar e, após a recuperação, eles serão soltos no parque. Se tivermos mais gaiolas, mais gatos serão castrados ao mesmo tempo.

Sugestões são muito bem vindas. Se alguém tiver outra idéia sobre o que possa ser feito (mas não só a idéia, por favor, idéia e ação), se for exequível, os rumos poderão ser mudados.

Qualquer dúvida, nossos e-mails estão disponíveis.

2 comentários:

Renata Márcia disse...

Sônia

Porque vocês não castram com um veterinário que fique no pós operatório?

Depois o que vocês vão fazer com as gaiolinhas?

Qualquer coisa me escreva.

Sônia Schmidt disse...

Renata
Provavelmente (se eles não roerem a corda), eles serão castrados no CCZ. Acho difícil ficarem lá no pós operatório.

Lá tem algo em torno de 50 gatos (segundo informação da Rosângela). Serão, então, dez "levas" de 5 gatos.

As gaiolas poderão ser usadas em outros projetos, posteriormente. Por isto optamos por gaiolas (tipo coelheiras, adaptadas para gatos) removíveis, já que as de alvenaria, se construídas, teriam que ficar no local.

Além disto, as de alvenaria ficariam, possivelmente, no mesmo preço, já que a Angela conseguiu achar um senhor que vai fazê-las em ferro galavanizado por R$ 65.

Em lojas especializada (ARAMIL) havíamos visto "gaiolas" para 6 gatos por mais de R$ 1.000,00 e isto dicaria inviável para o projeto.