25 de abr de 2010

Gatos Encantados – Dia de visita!!!

Visto que a Sônia tem um super compromisso no sábado que vem, antecipamos nossa ida ao Parque em uma semana.
Como todos sabem, deixamos comida para os gatos da “Cidade Fantasma” para 15 dias... e, como não iremos semana que vem, a comida iria acabar.
E isso jamais vai acontecer com os Gatos Encantados!

Apesar do tempo ruim, meio chuvoso, fomos com o objetivo de também tentar capturar algum gato. Queríamos muito capturar o Vaquinha que descobrimos na semana passada.

Como tínhamos marcado com o Márcio, um visitante ilustre, para conhecer todo o Projeto, fomos direto para a Cidade Fantasma.

Assim que chegamos, o Vaquinha-Pai e o Laranjinha, que estavam DENTRO DO CAFOFO (!!!), saíram e começou a miadeira. Logo depois, a Mãezinha apareceu. Não sabemos onde ela fica. Ela surge “do nada”.

Tratamos de servir o Banquete deles e fomos arrumar o Cafofo, que estava bem bagunçado.

Banquete na Cidade Fantasma

Marcio tentando se aproximar dos gatos (até que eles ficaram relativamente perto)

Em uma semana, apenas, o consumo de ração foi grande, o que reforça a possibilidade de ter muito mais gatos por ali.

Antes de irmos para o Parque, compramos mais um comedouro grande e alguns bebedouros para deixar lá. As bacias com água ficam logo sujas e a ração em potes também não é a melhor solução para tanto tempo, né?
Portanto, demos um “upgrade” nas instalações do Cafofo.

Cafofo sofreu upgrade!!!





A Sônia levou umas bacias grandes para servir de caminha pra eles e, na próxima ida, vou levar umas caixas de papelão “customizadas” para servir de caminhas também... Não demora e chega o frio e eles vão precisar de uma cama quentinha...

Quarto com as bacias grandes... em breve colocaremos caixas de papelão também (as que havíamos colocado ficaram meio podres)


Um pouco depois, o PPA apareceu... tímido, como sempre. Mas aproveitou o banquete também!

PPA, o atrasadinho

Depois de tudo arrumado, fomos para o Parque.

Até chegarmos do Reduto da “tia Sônia”, sempre vamos bem devagar, olhando em volta, pra ver se vemos algum gato “novo”...

Demos uma parada no lugar onde vimos o Vaquinha. Andamos por todos os cantos do lugar e não o vimos.

Aí, fomos para a “tia Sônia”. Antes de pararmos o carro, vimos o Vaquinha!!!
Ele saiu correndo e se embrenhou pelo mato. Mas ficamos felizes por saber que ele “achou” o lugar onde tem comida. E isso facilita sua futura captura.

Os gatos já conhecem o barulho do carro da Sônia! Pois todos vêm correndo pra perto de nós! É muito bonitinho! Um monte de gatos, desconfiados, mas ávidos pelo Banquete.

Claro que a gente corre para atendê-los.

Sophie, como sempre, impaciente demais, literalmente ATACA o banquete antes de ser servido!

Sophie, a impaciente!

Que coisa linda de se ver!!!!


Notícias boas:

1 – Patynho está ótimo! As feridas estão secas e só tem um pontinho aberto, sem nenhuma característica de gravidade e já engordou um pouco! Ele voltou para o parque com as feridas sequinhas; depois, abriu um pouco de novo. Agora já está quase tudo cicatrizado.

Patynho já quase bom


2 – O Pretinho com a ponta do rabo branca apareceu. Gordinho e cada vez mais dócil! Um fofo... A gente faz carinho e ele fica com a língua pra fora...

Pretinho com a ponta do rabo branca se deixando acariciar pelo Marcio
3 – Vimos, de passagem (rapidíssima), o Sialatinha (não castrado) e a linda irmã dele. Mas eles fogem da gente... rs

4 – Um pretinho que estava muito magro e não gosta de ração úmida (?!), já ganhou peso e está com a pelagem brilhante. Ele só aparece depois do Banquete e sempre damos ração seca diferente pra ele, como petisco.

Pretinho retardatário chegando para o banquete
E fomos passear com o Marcio pelas outras colônias do Parque.

No Quiosque, demos Whiskas Sache para a Tigradinha pidona (filme no relato anterior) e para a Sialata, que varia de ponto... “Tia Sônia” e Quiosque...

Quando estávamos descendo do Quiosque, vimos um outro Tigradinho em um Gazebo. Ele também já é castrado e, antigamente, ficava no Quiosque. Mas, como eles são andarilhos, ele passeia por várias micro colônias.

Tigradinho no gazebo
Sialata
Tigradinha pidona
Fomos até a frente do Parque, mas estava muito movimentado e só vimos a Sandy, que estava comendo. Os outros estavam bem escondidos.

Não vimos a Escaminha e os filhotes... Mas as funcionárias do Parque disseram que eles são vistos sempre. Deixamos um pouco de ração onde os vimos das outras vezes.

A colônia de um dos brinquedos estava “vazia”... Só apareceram dois gatos e ganharam ração diferente da que comem normalmente.

Com o tempo chuvoso, os gatos ficam escondidos. Principalmente os que ainda não foram castrados.

E foi mais um dia de “manutenção” no Parque.

Achamos que o Márcio gostou do projeto... Pois prometeu voltar lá com a gente pra ajudar outras vezes.
Afinal, ajuda é o que a gente mais precisa... rsrs

Foi um dia tranqüilo e feliz. Os gatos estão todos bem, alimentados, protegidos e, em sua grande maioria, castrados.

A partir da próxima ida ao Parque, a prioridade será a captura.
Pois nossa preocupação com a alimentação dos gatos da Cidade fantasma já está solucionada com a aquisição dos bebedouros e mais um comedouro grande.

Agradecemos muito as pessoas que nos ajudam, comprando os produtos do Bazar Encantado e aos nossos poucos, mas importantíssimos, colaboradores mensais, que permite que tudo isso seja possível.

Em breve, teremos mais novidades no Bazar Encantado. Tudo feito por mim e pela Sônia... rsrs

Os Gatos Encantados agradecem e nós também!!!

18 de abr de 2010

Gatos Encantados – Dia de FAXINA



Apesar de sabermos que estava tudo bem com os Gatos Encantados depois das chuvas aqui do Rio, claro que isso nos inquietava um pouco.

Estávamos ansiosas para chegar lá e ver com os nossos próprios olhos.

E fomos para o parque ontem, sábado, 17 de abril, com uma aparente calma, mas, no fundo, com o coração na mão... rs

Fomos direto para o Parque. Estávamos levando a ração que os Gatos Encantados ganham de um “secreto” e importantíssimo doador e achamos melhor deixar os pacotes no lugar antes de irmos para a “Cidade Fantasma”.
(nunca lembramos de fotografar os pacotes – droga!)

Claro que os gatos do reduto da “tia Sônia” nos recepcionaram com grande ansiedade! rs
Eles estão confiando cada vez mais na gente!
Quase todos os gatos “de sempre” estavam lá. Porém, não vimos o Pretinho com a ponta do rabo branca... Lógico que ficamos apreensivas...

Como sempre, o banquete!!!

O PATYNHO, que foi capturado por causa de uns ferimentos no pescoço, estava “presente”... Lindo e sem machucados! Um fofo!

Patynho

Vimos, enfim, o sialatinha que sempre foge quando chegamos. Dessa vez, ele participou, timidamente, do banquete.

Até levamos um susto! Pois, de repente, tinham DOIS sialatas quase idênticos. Um era a fêmea que já castramos, mas que poucas vezes aparece por ali.

Os dois sialatas juntos.


O sialatinha macho, que escapou do resgate e ficou “traumatizado” com a gente, ficou de longe a maior parte do tempo. E nós tratamos de fingir que não o víamos. Queremos que ele se acostume com a nossa presença para podermos capturá-lo de novo.

Sialata fêmea já castrada
Sialata (achamos que é macho) com menos medo de nós (precisamos capturá-lo ainda)

Mamãe e filhota (ambas castradas), foto de um ano atrás e de hoje. Elas se amam!

Gato que fica perto do quiosque pedindo sachê

Banquete servido, ração entregue, partimos para a Cidade Fantasma com o coração, como sempre, apertadíssimo. Nunca sabemos o que vamos encontrar, né?

Ao chegarmos, Laranjinha e Vaquinha-Pai se apresentaram rapidinho! Logo depois, veio a Mãezinha. Nada do PPA aparecer.



Servimos o banquete deles e fomos ver o Cafofo.
Pelos nossos cálculos, o consumo de ração nessa quinzena foi muito maior que o costume. Comeram quase tudo! E isso nos alegra. Pela quantidade consumida, calculamos uns 10 gatos se alimentando no Cafofo.
O Cafofo estava uma BAGUNÇA terrível. Restos de ração espalhados por todos os cantos... uma sujeira de dar gosto!

Bagunça!!!


E resolvemos fazer uma FAXINA das boas!

Claro que não NOS fotografamos nesses momentos... rsrs

Bem... vassouras, rodos, detergentes, e baldes (muitos baldes) de água, começamos a esfregar o chão.
Não tem água muito perto e temos que carregar os baldes cheios... rs

Potinhos lavados secando ao sol.


Como não estamos acostumadas a esse tipo de serviço, acho que posso falar pela Sônia também: Os braços DOEM... como doem... rsrs

O engraçado é a platéia... Laranjinha, Vaquinha-Pai e Mãezinha, deitados na sombra, assistiam tudo... Ora do lado de fora, ora na porta do Cafofo.

Enquanto elas faxinam eu descanso.

Alguns miados inquisidores (O que vocês estão fazendo aí?) e um certo ar de “deboche” que só os felinos sabem fazer quando limpamos o que sujaram (quem tem gato sabe do quê estou falando... rs)

Bem, limpamos TUDO! Ficou uma beleza!

Os Gatos Encantados ganharam do KKU um novo comedouro e bebedouro! Lindos!
Foram colocados no Cafofo. Ficou melhor pra eles.

Comedoro e bebedouro doados pelo KKU (Cacau). Os comedouros maiores estão do outro lado da sala.


Quando nos preparávamos pra ir embora, PPA apareceu... e um novo banquete foi servido. Ele não estava lá antes e ficou sem os petiscos. E ele merece, né?

Novo banquete só para o PPA.


Voltamos, então, para o Parque. De manhã, a “tia Sônia” não estava lá e precisávamos falar algumas coisas com ela.

No caminho, passamos pelas outras colônias e vimos alguns gatos já castrados... estão gordinhos e lindos. E, de repente, vimos ao longe um gato preto onde nunca tínhamos nenhum.

Fomos atrás, claro! É um gato vaquinha, muito miador.... Nos armamos de ração e fomos até ele, que se embrenhou por uma construção meio abandonada e ficou miando pra gente lá de dentro. Olhamos tudo e só vimos ele.
Deixamos a ração no meio do caminho dele. Queremos conquistá-lo para capturá-lo. Nem pensamos em máquina fotográfica, quando fomos atrás dele.

Fomos procurar a Escaminha com os filhotes e não os vimos no lugar de sempre. Capinaram o mato onde eles ficavam escondidos e devem ter procurado um outro cantinho por ali mesmo. Mas vamos encontrá-los! Eles são vistos sempre!

No final de tudo, foi um dia legal!

Os gatos estão todos bem, estamos reconquistando a confiança do Sialatinha, o Cafofo está limpíssimo, descobrimos mais um Vaquinha pra castrar, Patynho está bem, Sabemos que tem mais gatos na Cidade Fantasma...

Apesar de não termos visto alguns gatos, sabemos que estão bem.

E, pelas nossas contas, temos, pelo menos, SETE gatos pra capturar e castrar.

Portanto, Sônia, jeitosa e criativa que é, produziu algumas novidades para o Bazar Encantado. Estão no álbum dela do Orkut (e em breve no meu também!).
Produtos fofos e úteis!!!
Dêem uma olhadinha. E, se tiverem que dar algum presentinho, lembrem-se do nosso Bazar: É mais que um produto... É uma CAUSA.

4 de abr de 2010

Gatos Encantados – Gatos, gatos e mais gatos...

Na semana passada a Sônia levou o Patynho de volta ao Parque e deu uma “vistoriada” em tudo. Deu uma olhada em todos, serviu Banquete no Parque e na “Cidade Fantasma”.
Patynho teve seus machucados cicatrizados e ele está bem.

Ontem, sábado – 03/04, fomos ao Parque.

Sempre vamos um pouco angustiadas. Pois nunca sabemos o que, ou “quem”, vamos encontrar por lá.

Nossa intenção sempre é resgatar... Mas, como já são poucos gatos não castrados, cada vez fica mais difícil encontrar eles.

Até sabemos onde eles ficam. Mas é impossível descobrir os horários em que ficam de “bobeira”...

Bem... fomos primeiro ao Parque. Assim que chegamos, os gatos já se agruparam em torno de nós, miando e esperando, com muita impaciência, o Banquete. Isso, realmente, é engraçado!

Banquete de novo!!! Olhem que "rodinha" bonitinha!!!

Sophie, como sempre, gulosa e amorosa. Dessa vez, eu consegui fazer muitos carinhos no Pretinho com a ponta do rabo branca. E a Sônia não fotografou! 

Depois de ficarmos um tempinho por ali, demos uma volta pelas Colônias.

Não vimos a Escaminha e seus filhotes. Mas sabemos que estão bem. Pois foram vistos pelas “meninas” do Parque.

Vimos a "fera do buraco". Ela fica no terreno do parque, mas deve se alimentar no cafofo, também.

Fomos para a frente do Parque para tentarmos capturar o Tigradinho que vive por lá.

Qual o quê... Nenhum gato a vista!

Mas vimos o Júnior! Que ganhou um agradinho e ficou bem feliz!

Júnior
Para quem não se lembra, o Júnior foi o gato que veio nos receber na porta do parque no primeiro dia em que levamos ração para os Gatos Encantados.

Voltamos para o carro com a armadilha e a caixa de transferência e fomos para a “Cidade Fantasma”.

Nessa hora, o coração bate muito mais forte. Ainda mais agora, que estão desmontando o mobiliário que restou da Faculdade. É sempre uma incógnita...

Tivemos que conversar com o Administrador do Campus para ter a nossa entrada autorizada. O que foi ótimo! Pois, como ele já nos conhecia e sabia que cuidávamos dos gatos, a autorização para a nossa entrada foi renovada junto aos seguranças.

E entramos.

Na primeira curva, vimos o PPA... Logo depois o Vaquinha-Pai e o Laranjinha se apresentaram. Nada da Mãezinha aparecer... (o coração sempre aperta nessas horas).

O Laranjinha ligou uma “sirene” que ainda não conhecíamos! Rsrs

Laranjinha e sua sirene - pedindo para colocarmos logo o banquete!



Ele sempre teve um miado grave. Mas dessa vez, além de muito grave, era longo como uma sirene. E “respondia” às nossas perguntas... Muito fofo!
Sônia não resistiu e filmou esse “evento”.

Banquete servido e fomos “à faxina”.

Laranjinha mais calmo depois do banquete



Essa foto está de revista, não é? Esse gatinho, que se escondia no buraco quando nos via e nos deu tanto "baile", agora já fica bem mais perto.

Quando entramos no Cafofo, fiquei impressionada com a bagunça que estava lá! Eles fizeram a “festa” lá dentro!

Olha a bagunça que eles fazem!!!

Ainda tinha bastante ração para eles, o que nos tranqüiliza. Pois sabemos que são mais gatos dos que aparecem pra gente, mas não temos idéia de quantos são e temos receio de que falte comida.

Começamos a arrumação da “casa” e a lavagem dos potes.

Depois de tudo pronto, nos preparamos para ir embora, com o coração apertado de novo. Afinal, a Mãezinha não tinha aparecido.

Sempre sentimos falta de um ou outro gato. Nunca mais vimos a Prateada, o que nos deixa tristes, mas a Mãezinha também sumida? Não há coração que aguente, né?

Eu já estava entrando no carro, quando a Sônia me chamou com um grito!

Era a Mãezinha vindo correndo!!! Claro que paramos tudo para servir a nossa lindinha!!!

Que alívio ver a Mãezinha!!

Nenhum gato capturado... de novo... Mas a certeza que estão bem veio hoje, domingo, com um telefonema da “tia” Sônia...

Nunca conseguimos ver todos os gatos que frequentam o reduto da “tia” Sônia e pedimos que ela contasse os gatos de manhã cedinho...

A gente sempre uns 7 ou 8 gatos por lá... Mas de manhã cedo, são DEZOITO!!!

Já estamos nos programando para amanhecer no Parque qualquer dia! Precisamos ver isso com nossos próprios olhos e fotografar tudo!

No dia 17 vamos voltar ao Parque. Dessa vez, pra fazer um FAXINÃO no Cafofo.
Alguém se candidata a nos ajudar?
É trabalho forçado! Tem que carregar água em baldes e esfregar um bocado de chão... rs

Por hoje, é só...

Comentário by Sônia:

Às vezes nos sentimos um pouco frustradas quando não conseguimos capturar gatinhos para castração.

Ao mesmo tempo, dá uma certa satisfação, porque essa dificuldade para encontrar gatos "inteiros" se deve ao fato de estarmos conseguindo o que nos propusemos a fazer há quase 2 anos e meio atrás: controlar a colônia.

Nos últimos meses, a única notícia sobre nascimento de filhotes foi essa ninhada de três gatinhos, filhotes da gata escaminha (que é irmã do Vaquinha Pai e que entrou na armadilha uma vez e fugiu - depois disso, nunca mais se aproximou de nós; mas seu dia vai chegar!!)

Isso era inimaginável no começo, pois, a cada visita ao parque, eram ninhadas e mais ninhadas nascendo.

Sabemos que, possivelmente, não conseguiremos capturar TODOS os gatos, porque é como achar agulha em um palheiro (o terreno tem mais de 300.000 metros quadrados e parte dele é coberto por vegetação). Mas TODOS os gatos que soubermos que existem estarão sempre na nossa mira e não desistiremos de capturá-los.

Agora, consideramos que entramos em fase de "manutenção", ou seja: continuaremos a garantir sua alimentação, cuidaremos dos gatinhos que apresentem algum problema de saúde e continuaremos a tentar capturar os poucos gatos inteiros que ainda tem por lá.